Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2008

Apresentação do Senhor

Imagem
Jesus, a Luz do Mundo!

02 de Fevereiro

“Uma luz que brilhará para os gentios e para a glória de Israel, o Vosso Povo” (Lc. 2, 32).

“A união entre mãe e filho na obra da redenção manifesta-se desde o momento da concepção virginal de Cristo até a sua morte, [...] e quando ela o apresentou ao Senhor no templo com a oferta do Dom específico dos pobres, ouviram de Simeão as palavras que prenunciaram que o filho se tornará sinal de contradição e que uma espada transpassaria a alma da mãe para que fossem revelados os pensamentos de muitos corações” (Vaticano II – LG – 57).

Lemos que: Quando se completarem os dias (40 dias após o nascimento), José e Maria levam o menino Jesus ao templo em Jerusalém, para ser consagrado a Deus, conforme esta escrito: “Todo o filho primogênito varão será consagrado ao Senhor”. Ofereceram o sacrifício dos pobres, um par de rolinhas ou pombinhos, conforme ordena a lei.
Se todo o primogênito era propriedade de Deus, Jesus o era mais do que ninguém.
O templo está repleto…

Nossa Senhora da Consolação(da Correia ou da Cinta)

Imagem
21 de janeiro

“Bendito seja Deus Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, Pai de Misericórdia e Deus de toda consolação, o qual nos consola em toda a nossa tribulação, para que também nós possamos consolar os que estão em qualquer angústia...”
(II Cor. 1, 3 – 5)

Devemos procurar a consolação junto a Deus e junto a Maria, pois ela é a mãe dos aflitos. E Jesus lembra que: “Bem-aventurados são aqueles que choram porque serão consolados” (Mt. 5, 5).

Nossa mãe sabe consolar, como ninguém, nossas aflições, pois a sabedoria divina está em seus lábios:“Os teus lábios são como o favo de que destila mel” (Cant. 4, 11). Com que doçura destilam dos lábios de Maria suas expressões de consolo.
Esta devoção mariana vem dos tempos dos santos apóstolos. Após a morte e ressurreição de Jesus, eles tinham Maria por verdadeira mãe e mestra, consumada na ação do Espírito Santo, o consolador prometido. Maria é a própria consoladora do espírito, a fortaleza que reconforta os sofredores, o porto seguro dos aflitos.

Orige…